Querido Frankie / Dear Frankie (inglaterra, 2004)

Um dos meus maiores prazeres nesta vida de cinéfilo de educação errática e francamante caótica é descobrir um bom e pequeno filme ao acaso. E fui descobrir este Querido Frankie no lugar mais suspeito possível: uma sessão de cinema da TV aberta de sábado à noite. Felizmente, foi uma surpresa muito feliz.

Fugindo do marido violento, Lizzie (Emilie Mortimer) viaja de cidade em cidade, parando apenas um pouco para conseguir algum dinheiro num trabalho temporário e partir novamente. Leva sua mãe (Katy Murphy) e o filho mudo, Frankie (o garoto Jack McElhone, ótimo no papel), a tiracolo. Para não entristecer ainda mais o menino, Lizzie escreve e via cartas falsas a ele, fingindo ser o pai, marinheiro de um navio que ela viu num selo. Para seu azar, Frankie descobre que o tal navio vai atracar em poucos dias. Desesperada, procura a ajuda da dona do bar local, que consegue um sujeito (Gerard Butler, o Leônidas de 300) que fará o papel do pai de Frankie por certa quantia de dinheiro. Como desgraça pouca não é recheio suficiente para um bom dramalhão, eis que surge também o pai verdadeiro de Frankie, a beira da morte num hospital e louco para ver o filho.

Delicado e simples, Querido Frankie investe em situações pequenas e muitas vezes duras para caracterizar seus personagens, como quando a mãe de Frankie sai pela noite procurando um homem para fazer o papel de pai de seu filho e acaba dormindo num banco de praça, sem esperanças. A diretora Shona Auerbach e a roteirista Andrea Gibb também mostram incrível habilidade ao tratar cenas com potencial para o ridículo de forma sensível – quando, por exemplo, Frankie abraça seu pai falso, ou na sequência emblemática quando ambos correm pela orla marítima. Há ainda duas informações ao final que transformam em parte a história toda, acrescentando mais alguns elementos dramáticos que, surpreendemente, fazem sentido.

Contando com um ótimo e até então desconhecido elenco, um bom roteiro e bela fotografia, Querido Frankie é também um triste e sensível filme sobre o rito de passagem e o adeus a infância, tema que, aparentemente, não se esgotará tão cedo. Resta torcer para que este assunto encontre mais filmes como este.

Cotação: ****

Página no IMDB
Site oficial

3 Responses to “Querido Frankie / Dear Frankie (inglaterra, 2004)”


  1. 1 thiago pereira agosto 26, 2008 às 3:06 am

    gerard butler e emily mortimer não são desconhecidos…

  2. 2 thiago pereira agosto 26, 2008 às 3:09 am

    gerard butler e emily mortimer desconhecidos?

  3. 3 Marcelo Lopes agosto 26, 2008 às 4:35 am

    Thiago,

    Com certeza, não. Eu quis dizer que eram desconhecidos do grande público à época do lançanmento deste filme – 2004. Curiosamente, ano em que Butler faria o Fantasma da Ópera, que o tornaria famoso.
    Gostei muito do seu blog, especialmente dos pontos altos e baixos de cada filme.

    Abs,
    Marcelo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: