Piaf – Um Hino ao Amor / La Môme (França, 2007)

Piaf é uma cinebiografia sem maiores atrativos além de sua protagonista, certamente uma das grandes vozes do século XX. Ainda que seu estilo, a chanson francesa, com seu jeito grandioso e exagerado, faça cada vez mais parte do passado, a história de Edith Piaf tem força suficiente para segurar um filme – ainda que prejudicado por seguir sem desvios aquele formato típico de biografia hollywoodiana que já vimos em Ray, La Bamba (alguém se lembra?) ou mesmo no ótimo Walk the Line (Johnny & June no Brasil).

O filme investe todas as suas fichas na quase inacreditável Marion Cotillard, que oferece uma interpretação tão intensa que se compara ao Jim Carrey em O Mundo de Andy ou ao Forrest Whitaker do Último Rei da Escócia, para citar exemplos recentes. Pequena, delicada, fascinante, cruel, destrutiva, carente, Marion cresce a ponto de eclipsar as falhas gritantes do roteiro. O assassinato de seu primeiro protetor, Leplée (Gerard Depardieu), sua vida durante a Segunda Guerra e o abandono da filha Marcéle (transformada numa espécie de Rosebud deslocado) jamais são explicados adequedamente, e estes são problemas que quase comprometem o filme. Por outro lado, duas seqüências são verdadeiramente belíssimas – é verdade que o diretor Olivier Dahan, egresso do péssimo Rios Vermelhos 2: Anjos do Apocalipse, surpreende. O primeiro, quando Piaf recebe a notícia da morte do boxeador Marcel Cerdan, e a câmera desvincula-se da realidade conduzindo-a imediatamente ao palco, é um plano-seqüência de gelar a espinha. O segundo é a interpretação emocionante, ao final, da música Non, je ne regrette rien . Esta última seqüência, aliás, é a grande responsável pelas lágrimas de muitos espectadores, um choque emocional digno da grandiloqüência da canção que fez estes mesmos espectadores perdoar o roteiro problemático e quase episódico.

Piaf tinha aquela capacidade de tornar música o modo de ver a própria existência. A maior qualidade do filme é manter este sentimento, mesmo que tal qualidade deva-se mais à própria música de Piaf do que à esta produção.

Cotação: **

Página no IMDB
Site oficial (em inglês)

0 Responses to “Piaf – Um Hino ao Amor / La Môme (França, 2007)”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: