De Cabelos em Pé/Blow Dry (EUA, Inglaterra, 2001)

Eu poderia começar fazendo alguma piada sem graça sobre o título em português deste filme, mas reconheço que a piada é a própria versão. De qualquer forma, como levar a sério um filme sobre cabelereiros que tem o slogan “Love is in the Hair”?

Não levando, claro. A história se passa em uma pequena cidade inglesa que sedia uma competição internacional de cabelereiros. Phil Allen (Alan Rickman, ótimo e levemente afetado) era um dos grandes cabelereiros do país mas decidiu retirar-se dos torneios; agora é sua ex-mulher, Shelley (Natasha Richardson) e sua atual namorada, Sandra (Rachel Griffiths, e não, você não entendeu errado; a namorada é dela) decidem concorrer. Contrariando o pai, o jovem Brian (Josh Hartnett) integra a equipe de sua mãe. No entanto, vários acontecimentos tornam a história ainda mais complicada: o rival de Phil, Ray Robertson (Bill Nighy) deseja o prêmio, Brian se apaixona pela filha de Ray e Shelley esconde de todos que está doente.

Mistura estranha de comédia e drama, Blow Dry não esconde, em momento algum, sua inspiração estética: o bregão, absurdo e divertido Vem Dançar Comigo/Strictly Ballroom, do australiano Baz Luhrmann, produzido quase dez anos antes. É da música-tema do filme de 1992 que vem o slogan de que falei, uma brincadeira com o título Love is in the Air. Blow Dry acerta o tom na maior parte do tempo, porque assume-se como farsesco, mas não atinge a ingenuidade de Vem Dançar Comigo – talvez porque, com todo o respeito a profissão dos cabelereiros, francamente, um concurso de penteados está longe de ser um evento excitante para a maioria de nós, ao contrário de uma exibição de dança. Pesa contra o filme também uma dose levemente exagerada de melodrama, que é usado para humanizar os personagens sem grandes novidades.

O elenco está ótimo: Rickman, Nighy, Natasha e Rachel encarnam seus papéis sempre no limite exato entre o absurdo e o fake, enquanto Josh Hartnett exibe um sotaque inglês convincente, ao menos para mim – o ator é americano. O diretor Paddy Breathnach sabe que está lidando com material absurdo e procura ângulos por vezes ridículos, lembrando em alguns momentos os trabalhos daquele tal Yahoo Serious que fez O Jovem Einstein – o que não é exatamente um elogio. Vale destacar, por motivos, digamos, machistas, a sequência final (o chamado “blow dry”, que consiste numa produção de corpo inteiro em que o penteado é parte do personagem representado pela modelo que desfila para o júri) com Rachel Griffiths.

Cotação: ***

Página no IMDB

2 Responses to “De Cabelos em Pé/Blow Dry (EUA, Inglaterra, 2001)”


  1. 1 thiago pera novembro 15, 2008 às 8:33 pm

    Deu até vontade de ver esse!

    Não tinha ouvido (ou lido) nada a respeito ainda

  2. 2 Marcelo Lopes novembro 19, 2008 às 3:17 pm

    Thiago,

    O filme é bem legal sim!
    A propósito, se vc tiver TV por assinatura, ele será reprisado neste sábado, dia 22/11, as 10h e 15h. Mas não me lembro se no Hallmark ou no A&E…

    Abraços!
    Marcelo.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: